Quer saber como se auto-curar? Com a Medicina Germânica você vai entender

Você sabia que é possível melhorar ou ativar nosso potencial de autocura? Eliminar até aquelas doenças que dizem que não tem cura? Então, como fazemos para melhorar ou ativar este potencial? Bem, esse é o legado do médico alemão Dr. Ryke Geerd Hamer, que descobriu a relação entre nossa psiquê, nossos órgãos e nosso cérebro, ou como Dr. Hamer chama a tríade Psique-Órgãos-Cérebro, criando uma nova forma de compreensão da medicina.

Um legado que se iniciou logo após a morte repentina de seu único filho, quando Dr. Hamer desenvolveu um câncer de testículo e sua esposa um câncer de ovário. Nasceu então a Medicina Germânica (nome utilizado no Brasil), ou Germânica Heilkunde, como é conhecida em vários países.

Esse conhecimento se aplica a todas as “doenças”, ou como Dr. Hamer chama Conflitos Biológicos. Segundo eleesses Conflitos Biológicos são as respostas naturais do nosso próprio corpo com propósitos de sobrevivência.

Sintomas como dor de cabeça, tontura, alterações de tireóide, retenção de líquidos, mãos frias, insônia, febre, perda ou aumento de peso, alteração da pressão arterial, alterações glicêmicas são alguns dos programas de autocura que na medicina convencional são tratados como doenças.

O Conflito Biológico geralmente é uma situação de conflito vivido em solidão e não compartilhado por não poder ou querer compartilhar ou ainda quando não somos compreendidos e, então, geramos pensamentos recorrentes (dia e noite). Quem já não passou por isso? Parece bem familiar, não é? Quantas vezes perdemos noites de sono remoendo pensamentos sem saber o que fazer, perdendo até o apetite?

A primeira descoberta de Hamer é que todo câncer tem origem em um impacto na tríade Psíque-Órgão-Cérebro, gerando, assim, o câncer no órgão corresponde ao conflito gerador. Por exemplo: o conflito biológico ocorre quando uma mãe, que tem seu filho hospitalizado por um acidente grave, recebe a notícia que ele corre risco de morte. Neste momento é ativado um “Programa especial de sobrevivência”, essa mãe entra na fase fria (luta, estresse, mãos frias, falta de apetite etc), pois está na busca pela solução deste conflito. Após esse filho se recuperar e não ter mais risco de vida ela entra na fase quente (sono, dores, tumores, inflamações etc). A fase fria gera multiplicação celular em suas mamas, podendo evoluir para um tumor que cessará logo após a resolução deste conflito.

ENTÃO O QUE FAZER?

Em primeiro lugar conhecer a origem, ou seja, ir na causa do problema e na raiz do conflito. A solidão e rejeição fazem com que as doenças cronifiquem, segundo a Germânica Heilkunde. É preciso compartilhar a nossa dor, saber “ouvir” a si mesmo, isso é o que ativa a nossa autocura. O papel do terapeuta dessa medicina é ter o coração aberto para ouvir e entregar o caminho para o paciente se conhecer e entender sua responsabilidade na enfermidade que o acometeu.

Por isso, aprender a expressar nossos sofrimentos e angústias se fazem tão importante. O equilíbrio entre a Medicina Convencional e a Germânica Heilkunde, além do apoio das terapias complementares, proporcionam um maior conhecimento (ou autoconhecimento) que aumentam as chances de cura, além do apoio necessário para enfrentar as situações difíceis.

 

Autora: Fabiola Broch

Fonte: Germânica Heilkunde